sexta-feira, 10 de junho de 2011

Planta de Meia Sombra

Alpínia
  • Nome Científico: Alpinia purpurata
  • Sinonímia: Guillainia purpurata
  • Nome Popular: Alpínia, Gengibre-vermelho
  • Família: Zingiberaceae
  • Divisão: Angiospermae
  • Origem: Ilhas dos Mares do Sul
  • Ciclo de Vida: Perene
Deve ser cultivada a pleno sol ou meia sombra. Multiplica-se por mudas que se formam nas brácteas ou por divisão das touceiras, tomando o cuidado de deixar uma boa parte de rizoma e folhas com cada muda. Não é resistente ao frio.


Bambu-mossô
  • Nome Científico: Phyllostachys pubescens
  • Sinonímia: Phyllostachys edulis
  • Nome Popular: Bambu-mossô, mossô
  • Família: Poaceae
  • Divisão: Angiospermae
  • Origem: Ásia
  • Ciclo de Vida: Perene
O bambu-mossô prefere solos bem permeáveis e férteis, principalmente quando novos. Desenvolve-se melhor a sol-pleno e tolera interiores, desde que bem iluminados. As regas devem ser semanais. Reproduz-se pela emissão de novos colmos pelo rizoma, que interliga muitos colmos entre si. Por isso, os primeiros colmos são mais finos e à medida que o número de colmos aumenta, sua grossura e altura também aumentam. A grossura da base da nova brotação será sua grossura definitiva e, assim que soltar as primeiras folhas, não crescerá mais em altura.

Brinco-de-princesa
  • Nome Científico: Fuchsia hybrida
  • Sinonímia: Fuchsia speciosa
  • Nome Popular: Brinco-de-princesa, fúcsia, agrado, lágrima
  • Família: Onagraceae
  • Divisão: Angiospermae
  • Origem: América do Sul
  • Ciclo de Vida: Perene
Para ficar sempre bonito, o brinco de princesa requer boa iluminação, de preferência sob luz difusa ou meia-sombra, no entanto muitas variedades vão bem sob sol pleno. Mas um detalhe é unanime, as fúcsias apreciam o frio e portanto deve-se dar preferência para o cultivo no sul do país e nas regiões serranas. O substrato deve ser bem fértil, enriquecido com humus e composto orgânico. A propagação pode ser por sementes ou por estacas.

 Dracena-de-madagascar
  • Nome Científico: Dracaena marginata
  • Sinonímia: Dracaena bicolor, Dracaena concinna, Dracaena cincta
  • Nome Popular: Dracena-de-madagascar, dracena
  • Família: Ruscaceae
  • Divisão: Angiospermae
  • Origem: Madagascar
  • Ciclo de Vida: Perene
.
Devem ser cultivadas sob sol pleno ou sombra parcial, em solo fértil, leve e enriquecido com matéria orgânica, com irrigações periódicas. Planta tipicamente tropical, não tolera o frio ou ventos fortes. Multiplica-se facilmente por estaquia.

 Helicônia
  • Nome Científico: Heliconia psittacorum
  • Nome Popular: Helicônia-papagaio, tracoá, caetezinho, planta-papagaio
  • Família: Heliconiaceae
  • Divisão: Angiospermae
  • Origem: Brasil
  • Ciclo de Vida: Perene
Deve ser cultivada sob pleno sol ou meia-sombra, em solo fértil, enriquecido com matéria orgânica e mantido úmido. Aprecia o calor e a umidade tropicais. Tolera o frio subtropical, podendo ser cultivada com sucesso em regiões com este clima. Adubações ricas em fósforo e potássio, além de reposições de matéria orgânica estimulam uma folhagem exuberante e uma floração mais abundante. Multiplica-se por divisão das touceiras.

Hortênsia

  • Nome Científico: Hydrangea macrophylla
  • Sinonímia: Viburnum macrophyllum
  • Nome Popular: Hortênsia, hortência, rosa-do-japão, hidrângea
  • Família: Saxifragaceae
  • Divisão: Angiospermae
  • Origem: China e Japão
  • Ciclo de Vida: Perene
Devem ser cultivadas a pleno sol em solos bem adubados e ricos em matéria orgânica, regados periodicamente. Requer poda anual, no final do inverno para um intenso florescimento na primavera e verão. Aprecia o frio, sendo indicada para regiões de altitude e de clima mais ameno. Multiplica-se por estacas.

Jacinto
  • Nome Científico: Hyacinthus orientalis
  • Nome Popular: Jacinto, jacinto-holandês, jacinto-comum, jacinto-de-jardim, hiacinto-de-jardim, hiacinto
  • Família: Hyacinthaceae
  • Divisão: Angiospermae
  • Origem: África, Europa e Ásia
  • Ciclo de Vida: Perene
Devem ser cultivado sob luz difusa ou meia sombra no início da brotação. Após o estabelecimento das folhas devem receber sol direto para acumular a energia necessária à próxima floração. O substrato deve ser leve, drenável e enriquecido com matéria orgânica, com regas regulares durante o período vegetativo. Não tolera o calor excessivo. Multiplica-se por bulbos, formados em torno da planta mãe.


Lisianto
  • Nome Científico: Eustoma grandiflorum
  • Sinonímia: Bilamista grandiflorum, Eustoma russellianum, Lisianthius russellianus, Eustoma andrewsii
  • Nome Popular: Lisianto, genciana-do-prado
  • Família: Gentianaceae
  • Divisão: Angiospermae
  • Origem: Estados Unidos e México
  • Ciclo de Vida: Bienal
Devem ser cultivadas sob meia-sombra, em solo fértil e enriquecido com matéria orgânica, com regas regulares. Apesar de bienais devem ser tratadas como anuais, pois perdem a beleza com o tempo. Tolerante à geadas. Multiplica-se por sementes.

Narciso
  • Nome Científico: Narcissus cyclamineus
  • Sinonímia: Ajax cyclamineus, Narcissus pseudo-narcissus
  • Nome Popular: Narciso, narciso-trombeta
  • Família: Amaryllidaceae
  • Divisão: Angiospermae
  • Origem: Portugal
  • Ciclo de Vida: Anual
Majestosas flores amarelas, que se assemelham às flores das orquídeas, surgem ao final do inverno junto com a bela folhagem. Parece que estava tudo dentro do bulbo, prontinho para aparecer. Os narcisos, juntamente com as tulipas fazem parte de um grupo de plantas bulbosas que passou por um intenso melhoramento genético. Infelizmente o clima brasileiro não é favorável ao cultivo de parte destas plantas.
Os narcisos só vicejam nas regiões mais frias do sul país. Isto ocorre, pois os bulbos necessitam de um período de descanso que necessita de frio. As plantas encontradas em outras regiões são oriundas normalmente de bulbos importados. Podem ser plantados em vasos ou em maciços e bordaduras, combinam muito bem com jardins de estilo europeu.

Orquídea-bambú

  • Nome Científico: Arundina bambusifolia
  • Nome Popular: Orquídea-bambú, Arundina
  • Família: Orchidaceae
  • Divisão: Angiospermae
  • Origem: Burma
  • Ciclo de Vida: Perene
Orquídea terrestre bastante rústica, a arundina, como também é chamada, se encaixa perfeitamente no estilo dos jardins tropicais e contemporâneos. Apresenta caule juncoso, formando grandes massas que crescem até uma altura de 2 m. As folhas são finas, estreitas, compridas e lanceoladas, com um comprimento de 9 a 19 cm e largura de 0,8 a 1,5 cm. As flores se formam no verão e apresentam uma tonalidade lilás rosada com o labelo púrpura. A orquídea-bambú pode ser utilizada como bordadura, renques, ou isolada no jardim, assim como em vasos e jardineiras, sozinha ou compondo com outras plantas.
Esta espécie pode ser cultivada à meia-sombra ou a sol pleno, em solo rico em matéria orgânica. Quando plantada em vaso, a mistura recomendada é de 1 parte de terra comum de jardim, 1 parte de terra vegetal e 2 partes de composto orgânico. Aprecia regas regulares sem encharcar o substrato, devendo ser irrigada cada vez que o substrato secar na superfície. Floresce mais intensamente em regiões de clima tropical e equatorial. Não tolera geadas. Multiplica-se pela divisão das touceiras ou por estacas-ponteiro obtidas das brotações laterais das hastes.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário