segunda-feira, 20 de junho de 2011

Forrações de sombra

Abacaxi roxo

Espécie: Tradescantia spathacea 
Nome comum: abacaxi-roxo, moisés-no-berço, espada de Iansã.

Hebácea quase acaule, ereta, de aspecto suculento, encontrado na maioria dos países da América do sul, de 20–30 cm de altura, de folhagem ornamental.

Antúrio
  • Nome Científico: Anthurium andraeanum
  • Nome Popular: Antúrio
  • Família: Araceae
  • Divisão: Angiospermae
  • Origem: Colômbia
  • Ciclo de Vida: Perene
O antúrio é exigente quanto à umidade, deve ser plantada sempre à meia-sombra ou sombra, em substratos ricos em matéria orgânica, como a fibra de côco misturado com terra vegetal, com regas frequentes e adubação adequada para florescer.
Dinheiro em penca
  • Nome Científico: Callisia repens
  • Sinonímia: Tradescantia minima, Hapalanthus repens, Spironema robbinsii
  • Nome Popular: Dinheiro-em-penca, dinheirinho, tostão, mosquitinho
  • Família: Commelinaceae
  • Divisão: Angiospermae
  • Origem: América Tropical
  • Ciclo de Vida: Perene
Deve ser cultivada sob meia-sombra ou sombra, em solo fértil, leve, enriquecido com matéria orgânica e irrigado regularmente. Não tolera o frio, ventos fortes ou pisoteio. O cultivo sob sol pleno torna a planta excessivamente avermelhada e queima as folhas. Já sob sombra, ela perde o aspecto denso, crescendo com entrenós mais compridos. Aprecia adubações mensais na primavera e verão. Multiplica-se facilmente por divisão da ramagem enraizada ou estaquia.

Hemigrafis roxo

Forração de Jardim de folhagem roxo-prateada, boa para meia-sombra e sombra. Forma belos maciços e compõe muito bem com arbustos e palmeiras. A Hemigraphis é uma planta muito utilizada no paisagismo, principalmente pela cor exuberante de suas folhas e do contraste que é possível criar combinando-a com arbustos e palmeiras.


Russélia
  • Nome Científico: Russelia equisetiformis
  • Sinonímia: Russelia juncea
  • Nome Popular: Flor-de-coral, russélia
  • Família: Plantaginaceae
  • Divisão: Angiospermae
  • Origem: México
  • Ciclo de Vida: Perene
A russélia é uma planta pendente, de textura herbácea e muito florífera. Também é apropriada para vasos, floreiras e cestas suspensas. Atrai beija-flores e borboletas. Eventualmente pode escapar ao cultivo e tornar-se invasiva.
Deve ser cultivada sob sol pleno, meia-sombra ou sombra, em solo fértil, bem drenável, rico em húmus e irrigado regularmente. Não tolera estiagens prolongadas. É bastante rústica e responde bem a adubação rica em fósforo e potássio, florescendo em abundância. Tolerante ao frio, ao vento e à salinidade, torna-se própria para regiões litorâneas. Aprecia o calor, podendo estender a floração por todo o ano em regiões tropicais e equatoriais. Multiplica-se por sementes, estaquia e divisão das touceiras.

Samambaia
  • Nome Científico: Nephrolepis pectinata
  • Sinonímia: Aspidium pectinatum
  • Nome Popular: Samambaia-paulista, rabo-de-gato
  • Família: Davalliaceae
  • Divisão: Pteridophyta
  • Origem: Chile, México, Japão e Nova Zelândia
  • Ciclo de Vida: Perene
A samanbaia-paulista é muito indicada como forração, assim como bordaduras junto a muros e em vasos e jardineiras. É freqüente sua comercialização como planta de corte, onde é responsável pela composição de lindos buquês com flores. É resistente ao frio e muito vigorosa, tornando-se planta invasora em muitos casos. Como as outras samambaias, aprecia a umidade e o calor. Deve ser cultivada a meia-sombra ou sombra em substrato leve e enriquecido com matéria orgânica, com regas freqüentes. Multiplica-se por esporos e divisão das touceiras.

Singônio

  • Nome Científico: Syngonium angustatum
  • Sinonímia: Syngonium gracilis, Syngonium albolineatum, Nephthytis triphylla, Syngonium podophyllum
  • Nome Popular: Singônio
  • Família: Araceae
  • Divisão: Angiospermae
  • Origem: Nicarágua
  • Ciclo de Vida: Perene
É produzida em larga escala como planta envasada, para decoração de interiores, pela sua adaptação à meia-sombra. No entanto podemos plantá-la no jardim, em jardineiras e canteiros sempre sombreados e  semi-sombreados. Se tutorada adequadamente torna-se uma bela trepadeira.
Deve ser cultivada em substrato rico em matéria orgânica. Aprecia a umidade e regas regulares. Não é tolerante ao frio. Multiplica-se por estacas durante o ano todo.

Grama azul
  • Nome Científico: Poa pratensis
  • Sinonímia: Poa viridis, Poa boliviensis
  • Nome Popular: Grama-azul, grama-azul-do-kentucky
  • Família: Poaceae
  • Divisão: Angiospermae
  • Origem: Europa, Ásia e África
  • Ciclo de Vida: Perene
É indicada para diversos tipos de jardim, por ser resistente ao pisoteio e ter um ótimo acabamento. Deve ser aparada sempre que alcançar 2,5 a 3 cm. Vendida comumente na forma de placas, sementes ou mudas(plugs). Deve ser cultivada a sombra e meia sombra, em solos férteis, com adubações semestrais e regas regulares. É contraindicada para locais quentes, devendo seu uso ficar restrito as regiões do sul do pais ou regiões serranas.


Hera

  • Nome Científico: Hedera helix
  • Sinonímia: Hedera helix caucasigena, Hedera caucasigena, Hedera taurica, Hedera helix helix
  • Nome Popular: Hera, hera-inglesa, hera-verdadeirahera, heradeira, hereira, aradeira, hedra, hera-dos-muros, hera-trepadeira
  • Família: Araliaceae
  • Divisão: Angiospermae
  • Origem: Europa, Ilhas Canárias, África e Ásia
  • Ciclo de Vida: Perene
Deve ser cultivada sob meia-sombra ou sombra, em solo fértil, bem drenável e enriquecido com matéria orgânica, irrigado periodicamente. A hera aprecia a umidade e o frio subtropical, e não suporta solos encharcados. É tolerante a geadas e podas para o controle do crescimento. Multiplica-se por sementes, estaquia ou mergulhia.

Lambari roxo
  • Nome Científico: Tradescantia zebrina
  • Sinonímia: Commelina zebrina, Zebrina pendula
  • Nome Popular: Lambari, trapoeraba-roxa, trapoeraba-zebra
  • Família: Commelinaceae
  • Divisão: Angiospermae
  • Origem: México
  • Ciclo de Vida: Perene
Pelo seu aspecto compacto, pequeno porte e adaptação à sombra, o lambari torna-se uma excelente forração para situações de sombra e meia-sombra, onde dificilmente os gramados vingam, como sob a copa de árvores e outros locais cobertos. Seu plantio em vasos, jardineiras e cestas suspensas também é muito apreciado, evidenciando sua bela folhagem pendente. Nestes casos, adubações leves e regas freqüentes estimulam seu crescimento vistoso.
Devem ser cultivados à meia-sombra ou sombra, em solo fértil e enriquecido com matéria orgânica, mantido úmido. Planta tipicamente tropical, não é tolerante ao frio rigoroso e às geadas, mas adapta-se muito bem às estufas em países de clima temperado. Devido à sua facilidade de propagação, pode escapar ao cultivo e se tornar invasiva em determinadas situações. Multiplica-se facilmente por estacas ou pela divisão da ramagem enraizada.

Um comentário:

  1. Ola, adorei as fotos e gostei muito das descricoes. Tenho um blog tambem com fotos de arvores e flores, se der da uma passadinha la.

    ResponderExcluir